Umane: fortalecendo a saúde pública e a promoção de saúde para todas as pessoas

Foto: Luara Olívia/Divulgação

Estima-se que todos os dias, aproximadamente 830 mulheres morrem por causas evitáveis relacionadas à gravidez e ao parto em todo o mundo, é o que aponta a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS, 2021). 

Os dados de mortalidade por doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs) também são preocupantes. Segundo o Ministério da Saúde, só no Brasil, cerca de 50% das mortes em 2019 foram causadas por doenças preveníveis como a hipertensão, a obesidade e o diabetes.

Além desses dados, que demonstram que a saúde pública brasileira enfrenta desafios constantes e complexos, o país ainda lida com o subfinanciamento histórico do Sistema Único de Saúde (SUS) e uma Atenção Primária à Saúde (APS) que ampliou muito sua cobertura, mas que ainda enfrenta desafios para o ordenamento do cuidado integral na rede de atenção à saúde.

Para contribuir com a saúde pública, Evelyn Santos, gerente de projetos e novas parcerias da Umane, aponta que trabalhar o fortalecimento da APS por meio de ações de prevenção primária e promoção da saúde é mais custo-efetivo a longo prazo, “em termos de saúde pública, a forma mais inteligente de lidar com doenças como o diabetes tipo 2 a longo prazo é implementar ações efetivas para que as pessoas sob risco de adquirir diabetes não desenvolvam a doença, ao invés de focar apenas no diagnóstico e tratamento, aspectos que hoje já avançaram bastante”, destaca.

Programas de apoio norteiam a atuação da Umane 

Com base em um modelo de atuação voltado a endereçar as janelas de oportunidade presentes nas estratégias das autoridades nacionais e internacionais de saúde pública, assim como seus gargalos e desafios, a Umane desenvolveu três Programas de Apoio a Projetos, cujo propósito é dar foco para o investimento social de forma estratégica e abrangente, com a convicção de que diferentes problemas necessitam de diferentes ferramentas e abordagens.

Os Programas de Apoio representam porque e o quê a Umane faz para cumprir sua missão de contribuir com o fortalecimento da saúde pública no país. Ao apoiar iniciativas inovadoras e estratégicas, centradas na prevenção e promoção da saúde, a Umane busca, em parceria com a sociedade civil, o poder púbico e a academia, um futuro com um sistema de saúde mais resolutivo e com mais qualidade de vida para todas as pessoas que vivem no Brasil.

Foto: Umane

Programa de Fortalecimento da Atenção Primária à Saúde como Ordenadora do Cuidado no Sistema Único de Saúde (SUS)

Segundo o Ministério da Saúde, cerca de 85% dos problemas de saúde podem ser resolvidos nos serviços de Atenção Primária à Saúde (APS), que localmente são conhecidos como Unidade Básica de Saúde (UBS), Unidade de Saúde da Família (USF), entre outros. É no âmbito da APS que os profissionais podem determinar se o problema em questão deve ser solucionado no local ou necessita ser direcionado para um serviço especializado.

“A unidade de Atenção Primária à Saúde (APS), atuando em um território definido e com a sua população identificada, cadastrada, com a situação de saúde e riscos estratificados e a programação de atendimentos e serviços definidos, ordena o cuidado de forma muito eficiente”, pontua Evelyn. Conhecer o usuário, saber dos riscos de saúde e utilizar estas informações para atingir melhores resultados é o foco do Programa de Fortalecimento da Atenção Primária à Saúde

Para aprimorar a organização dos serviços de saúde e contribuir com o dia a dia dos profissionais, a Umane apoia iniciativas inovadoras que possibilitam a compreensão do contexto dos usuários e a oferta de um cuidado em saúde integrado e eficaz. 

Com o uso de tecnologias diversas, que contemplam desde tecnologias leves, até mesmo produtos, algoritmos, análises preditivas e inteligência artificial, mas sempre considerando a importância do vínculo, integralidade e autocuidado ao longo do acompanhamento, o objetivo é ocupar um espaço na vida da população, impactando, assim, na melhora da saúde. 

No primeiro trimestre de 2024, o Programa apoia oito projetos:

Para ler mais, acesse: https://biblioteca.observatoriodaaps.com.br/abrangencia-e-impacto-da-aps-na-saude-dos-brasileiros/ 

Programa de Atenção Integral às Doenças Crônicas

 “Para estabelecermos este Programa, nos perguntamos: quais são as doenças que afetam o maior número de pessoas? Se muitas pessoas têm uma condição específica que é prevenível, temos que trabalhar com esta condição”, explica Evelyn. 

Com foco em doenças crônicas não transmissíveis como o diabetes tipo 2, hipertensão arterial, obesidade e doenças cardiovasculares, este Programa apoia iniciativas que proporcionem a prevenção primária das doenças e seus fatores de risco, que ampliem o acesso à saúde e promovam o rastreamento e monitoramento de pessoas em grupos de risco ou que apresentem a doença.

Em estreita colaboração com a Atenção Primária à Saúde, esta frente visa melhorar a qualidade de vida, reduzir complicações e, por intermédio de medidas de educação, estímulo ao autocuidado e intervenções oportunas e em escala, atua diretamente nos fatores de risco associados a essas doenças como o uso do tabaco, consumo de álcool, inatividade física e alimentação não saudável.

Para preencher a lacuna de informações sobre o estado de saúde da população e os impactos dos fatores de risco associados, a Umane apoia duas pesquisas longitudinaisCoortes de Pelotas – Saúde ao longo do ciclo vital, em parceria com o Programa de pós-graduação em Epidemiologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e o NutriNet Brasil, com o Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo (USP), além da segunda edição do Covitel, Inquérito Telefônico para Fatores de Risco para Doenças Crônicas não Transmissíveis em Tempos de Pandemia, em parceria com a Vital Strategies.

Para rastreamento, detecção precoce, tratamento e controle de pacientes com hipertensão, diabetes, obesidade e colesterol, a Umane apoia ainda o Cuidando de Todos, iniciativa liderada pela área técnica da Atenção Primária à Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo (SMS/SP), idealizada pela Fundação Novartis e implementada pelo Instituto Tellus. 

Para ler mais, acesse: https://biblioteca.observatoriodaaps.com.br/blog-dcnt-como-brasil-poderia-evitar-mais-de-300-mil-mortes-ano/

Programa de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente

Também fundamentado na atuação da Atenção Primária à Saúde e com a compreensão da importância e necessidade de investir na saúde desde a infância até a fase adulta, em especial durante a gestação, a Umane desenvolveu o Programa de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente. 

Este Programa busca promover uma rede de cuidados que envolva os profissionais de saúde desde o pré-natal, até o acompanhamento do período que compreende a gestação e os primeiros dois anos de vida da criança, e apoia iniciativas com foco na articulação entre os níveis de atenção à saúde para o pré-natal, acompanhamento integral dos mil dias e má nutrição.

Para prevenir intercorrências durante a gestação e garantir uma vida adulta saudável, as iniciativas apoiadas também atuam no monitoramento remoto e adotam uma abordagem multidisciplinar no combate às doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs) e fatores de risco nestes grupos específicos.

As iniciativas que integram o Programa são o Atendimento Multiassistencial AMAS – UMANE, em parceria com o Instituto de Responsabilidade Social Sírio Libanês (IRSSL), além da Central de Regulação Obstétrica e Neonatal (CRON), em parceria com a Prefeitura Municipal de São Paulo e o Enfrentamento da Obesidade Infantojuvenil, em parceria com o Instituto Desiderata.

Para saber mais sobre a atuação da Umane, acesse: umane.org.br

ARTIGOS RELACIONADOS